You are not logged in
Log in
Sign up
Welcome

 

Encontro 2013 

ENCONTRO DA FAMÍLIA CAVALCANTE – 2013

O Encontro será anual, em Ubajara - CE sempre no último sábado do mês de julho. Assim sendo, agende-se desde já para participar do próximo.

 


                                               O INÍCIO

 

O Português, Jerônimo de Albuquerque veio para o Brasil em meados do século XVI juntamente com seu cunhado o Donatário da Capitania de Pernambuco Duarte Coelho e sua esposa Brites de Albuquerque de quem era irmão. Logo ao chegar, numa das lutas que teve que enfrentar contra os índios, levou uma flechada e perdeu um olho, ficando desde então conhecido pelo apelido de "O torto". Ferido, prisioneiro e condenado a morte, foi salvo pela intervenção de Tinderena ou Tabira, a filha do cacique Uirá Ubi (Arco Verde), chefe dos índios Tabajaras, que se apaixonou por ele e o queria como marido.

A índia Tindarena ao se casar tomou o nome de Maria do Espírito Santo Arcoverde, teve com Jerônimo de Albuquerque oito filhos, uma das quais era Catarina de Albuquerque que constituiria a família Cavalcanti de Albuquerque. Jerônimo de Albuquerque teve diversas mulheres e inúmeros filhos, sendo por isso considerado o Adão Brasileiro.

Felippo de Giovanni Cavalcanti, Fidalgo Florentino que fugiu de Florença sua pátria por volta de 1557, devido a uma conspiração que promoveu juntamente com seus parentes Holdo Cavalcanti e Pandolfo Pucci, contra o Duque Cosme de Médicis, vindo parar em Portugal em 1558. Ainda não se sentindo seguro em Portugal, tamanha era a força de Cosme de Médicis, decide vir para Pernambuco no Brasil. Aqui se torna hospede de Jerônimo de Albuquerque, cunhado do Primeiro Donatário da Capitania, Dom Duarte Coelho. Casa-se em seguida com Dona Catarina Albuquerque, filha de Jerônimo com a índia batizada Dona Maria do Espírito Santo Arcoverde.

Deste consorcio procede a Família Cavalcanti de Albuquerque e posteriormente a Família Arcoverde Cavalcanti. A famílias dos pais de Felippo Cavalcanti,  eram de alta nobreza e linhagem. Casado, em Pernambuco, Felippo passa a dedicar-se as armas, acompanhando o sogro, na defesa da capitania, em diversas lutas contra os índios, amealhando considerável riqueza, adquirindo propriedades, e engenhos de açúcar. Felippo Cavalcanti morreu em idade muito avançada, provavelmente em 1613, estando sepultado junto com sua mulher, na Catedral da Paróquia do Salvador em Olinda, Igreja da qual ambos eram Benfeitores.

Fonte:http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar/index.php?option=com_content&view=article&id=378&Itemid=1

Esse Foi o início da família Cavalcanti(e) no Brasil. Existem duas árvores genealógicas no nosso site: "Origens" e a "Família Cavalcante de Paula". Para você dar uma olhada na árvore "Origens" é só entrar na guia "Árvore Genealógica" e no canto direito clicar na setinha para baixo e escolher "Origens". Existe uma grande lacuna entre a árvore "Origens" e a árvore "Família Cavalcante de Paula", essa lacuna iremos cobrir a medida que encontrarmos os ancestrais de "José Cavalcante de Paula". Quem tiver alguma pista é só me passar.

 


 

   GALERIA DOS PATROCINADORES 2014

 

 

Andrea  Rosânia  Lúcia  

Nogueira Júnior  

Alcântara Júnior  Margarida Souza

  

Paulo Afonso  Tânia  Samuel  Nana e Débora  Maristella  Zélia  Iêda  Terezinha  Zulma  

Lúcio  

  

 

A Galeria dos Patrocinadores é composta por membros do site que decidiram de forma voluntária, contribuir financeiramente para a manutenção do site pelo ano de 2014.

 


 

NOTA DE ESCLARECIMENTO:

O SITE NÃO NOTIFICA OS ANIVERSARIANTES QUE NÃO TENHAM INFORMADO O ANO DE NASCIMENTO.

ENTÃO, A SOLUÇÃO É CRIAR UM EVENTO MANUALMENTE. QUALQUER MEMBRO PODE CRIAR.
 

 

ESPAÇO PARA BIOGRAFIAS DE MEMBROS DA FAMÍLIA

A Biografia de membros da família é fundamental para preservação da memória e da história da família.

 


 

Links

Francisco Cavalcanti Filho

                  Mara Beatriz            
Vida e Obra de Francisco              Blog de Mara Beatriz     
Cavalcanti Filho 

 

Paulo Afonso

FRAGMENTOS, blog de
Paulo Afonso de Paiva Cavalcanti

                                 

 


 


Go to family tree

Go to family photos
Family news
Oct 27, 2014
Margarida Maria Cavalcanti commented on event 25th wedding anniversary of Paulo Afonso de Paiva Cavalcanti and Anatalice da Silva:
 SE EU PUDESSE IRIA P ESSA FESTA !!! AINDA NÃO CORRIGIRAM O SITE E ENVIEI PARABENS PELOS 73 ANOS DELA , DESCULPE MAS NÃO RESISTI , ESTÁ HILARIO ... AINDA BEM Q VCS SABEM Q ADORO ELA , MAS N RESISTI ... BJOS , MARGOT 
Paulo Afonso de Paiva Cavalcanti Cavalcanti commented on event 25th wedding anniversary of Paulo Afonso de Paiva Cavalcanti and Anatalice da Silva:
 Obrigado, minha irmã, esta data é importante para nós. 25 anos de união e de muitas felicidades. Hoje é também o aniversário dela. As festas ficaram para o final de novembro pois a eleição de 2º turno nos manteve ocupados e não nos deixou tempo para a organização da festa. 
Margarida Maria Cavalcanti commented on event 25th wedding anniversary of Paulo Afonso de Paiva Cavalcanti and Anatalice da Silva:
 Meus queridos , sinceros parabéns pelas Bodas de Prata e votos para mtos anos mais de paz e mto amor . Carinhosamente , Margot 
Margarida Maria Cavalcanti commented on event 73rd birthday of Anatalice da Silva:
 cunhada querida kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk não aguentei ver por escrito os seus 73 aninhos !!!!!!!!! olhando bem a foto vc está mto bem conservada ou botou foto dos 15 anos !!! seus netinhos Pedro Paulo e Mariana vão bem ? desculpe mas não consigo escrever parabéns aqui nesse site ... bjos querida, Margot 
Oct 07, 2014
Nonato joined another family site: Buarque Web Site
Sep 28, 2014
Nonato commented on event 34th birthday of Maria das Dores Alves Cavalcante:
 Oi Dorinha, meus parabéns super atrasados. Desejo que Deus derrame bênçãos na sua vida. Beijos. 
Sep 24, 2014
Claudete [Cavalcanti] de Araújo Massard joined another family site: Site de família
Sep 22, 2014
Andrea Cavalcante Castro commented on event 62nd birthday of Eduardo Augusto Fernandes Mendes:
 Parabéns primo, um pouco atrasado, mas tá valendo! kkkkkkk... Muitos anos de vida, saúde e dinheiro no bolso. Felicidades!!! 
Sep 21, 2014
Joaquim Afonso Ferreira joined another family site: Turletti Web Site
Sep 13, 2014
Raymundo Cavalcanti de Paula Júnior commented on event 29th birthday of Bianca Cavalcanti de Paula:
 Olá tia, em nome da Bi te agradeço pela lembrança. Ela está em São Paulo. Vou transmitir a ela suas felicitações. Tenho certeza que ela ficará muito grata. E prá vc e sua família muita saúde, paz e felicidade.
do sobrinho Jr. 
Sep 12, 2014
Zélia Maria Cavalcante de Paula Vieira commented on event 29th birthday of Bianca Cavalcanti de Paula:
 Olá Bianca! o tempo passa numa velocidade incrível! Nego-me a acreditar que aquela menininha que conheci, hoje é uma linda jovem universitária! Parabens p´ra voce, muito amor no coração e alegrias mil . Grande abraço de Zélia 
Sep 05, 2014
Zélia Maria Cavalcante de Paula Vieira commented on event 19th birthday of Isadora Nogueira Mangualde:
 Iadora, parabens pelo seu aniversário e que você con- tinue a ser esta linda e meiga jovem. Deus derrame bênçãoe sobre voce e seus queridos familiares.Grande abraço de Zélia e Vieira 
Nonato commented on event 57th birthday of José Odval Alcântara:
 Caro primo, desejamos muitas felicidades, muitos anos de vida com saúde, paz e prosperidade. Lúcio, Ana, Luciana e Lucas 
Aug 30, 2014
Paulo Afonso de Paiva Cavalcanti Cavalcanti commented on event 70th birthday of Oscar Magalhães:
 Primo, parabéns e muitas felicidades pelo seu aniversário. Grande abraço. 
Aug 17, 2014
Nonato updated his profile.
Aug 15, 2014
Nonato commented on event 63rd birthday of Francisco CavalcantI:
 Caro primo, muitas felicidades, muitos anos de vida com saúde, paz e prosperidade. E quando for a Ubajara dê uma esticada até São Luís. Um grande abraço. 
Aug 01, 2014
Danielle Cavalcante Mendonça Cerqueira commented on event 37th birthday of Danielle Cavalcante Mendonça:
 Oi tia Zelia e tio Vieira, obrigada pela lembranca e pelo presente. Adorei o perfume! Bjus, saudades. 
July 31, 2014
Margarida Maria Cavalcanti commented on event 75th birthday of Margarida Maria de Paiva Cavalcanti:
 Oi Zelia , mto grata pela lembrança , embora distante sempre lembro de vcs . Um bjo grande e , sim , q as bênçãos de DEUS estejam sobre nós. 
Joaquim Afonso Ferreira joined another family site: Silva Fontes
July 30, 2014
Nonato commented on event 31st wedding anniversary of Lúcio Flavo Cavalcante and Ana Lúcia Teixeira Ribeiro Coutinho:
 Ana,

Viver ao seu lado durante esses 31 anos, e se Deus permitir por mais outros tantos anos, foi para mim um motivo de muita felicidade. Você é uma grande mulher e companheira. Nossa relação duradoura tem uma base sólida na educação e no exemplo que tivemos dos nossos pais, no compromisso que assumimos em fazer um ao outro feliz e sobretudo e antes de tudo com Deus sempre presente nas nossas vidas. A começar pelo presente que ele me fez, colocando você em minha vida. Como se isso não bastasse, acrescentou ainda nossos maravilhosos filhos e netos.

Não tenho motivo nenhum para me queixar, mas tenho todos os motivos para agradecer pela felicidade de ter você em minha vida. Desejo viver ainda muito tempo sempre com o propósito de fazer você feliz.

Eu te amo. 
Raymundo Cavalcanti de Paula Júnior commented on event 31st wedding anniversary of Lúcio Flavo Cavalcante and Ana Lúcia Teixeira Ribeiro Coutinho:
 Parabéns ao casal por mais um aniversário de casamento, bodas de madrepérolas, com bela celebração e bençãos. 
 
View older news
News articles
Family memories:Os primeiros Cavalcanti no Brasil
Posted by: Tadeu Ottoni on Apr 30 2013 19:14

Filippo Cavalcanti

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Filippo di Giovanni Cavalcanti (Florença,12 de junho de 1525 — Olinda, antes de 1614) foi um nobre cavaleiro florentino da Ordem Soberana e Militar de Malta que, por volta de 1560, migrou para Pernambuco, onde gerou vasta descendência. O ramo brasileiro dos Cavalcanti vem a ser uma das mais antigas e numerosas famílias brasileiras. De acordo com sites de genealogia os Cavalcantis se estabeleceram na Padânia por volta do ano 1000 oriundos de Colônia, no I reich, sendo o intelectual Guido Cavalcanti o seu mais famoso membro e melhor amigo de Dante Alighieri que o influenciou de forma decisiva a ponto de ser citado na sua mais famosa obra renascentista de importância hemisférica, eurasiana e mundial por mera consequência.

Segundo uma teoria conspiratória sem nenhuma prova e que vai de encontro a varios fatos históricos, Filippo teria caído em desgraça ao participar de uma fracassada conspiração para derrubar Cosme de Médici, razão pela qual teria buscado refúgio em Portugal, partindo posteriormente para o Brasil. A documentação disponível, nos mostra que Cosme de Médici escreveu e assinou o atestado de nobreza de Filipo que o permitiu receber uma condecoração do rei de Portugal em 1558, contrasta com essa versão. Ademais, o pai de Filippo, o mercador Giovanni di Lorenzo Cavalcanti era um partidário dos Médici, muito próximo do papa Leão X (nascido Giovanni di Lorenzo de' Medici), e atuava como elemento de ligação entre a Cúria e a corte de Henrique VIII, com uma função diplomática, misturada a atividades comerciais e bancárias, junto com Pierfrancesco de' Bardi. O fato de Henrique VIII ter adicionado uma asna de azul carregada de um leonel de ouro no seu ápice entre duas flores de lis do mesmo ao brasão da familia, faz perceber que Giovanni tinha alguma importância para o Rei.

Embora não impossível, a hipótese de conspiração parece pouco provável e, portanto, os motivos de sua saída de Florença permanecem um tanto obscuros.

De antiga família guelfa de Florença, filho do mercador Giovanni di Lorenzo di Filippo Cavalcanti e de Ginevra Manneli foi batizado naSanta Croce, segundo a documentação subsistente.

Aos 34 anos, depois de uma passagem por Portugal, aporta em Pernambuco, onde se casa com Catarina de Albuquerque, filha deJerónimo de Albuquerque (c. 1500) e da nativa Maria do Espírito Santo Arcoverde (uma espécide de Pocahontas precursora). Filippo torna-se o lugar-tenente de Jerônimo de Albuquerque e, com Catarina, teve onze filhos, gerando vasta descendência, que se constituiu no ramo brasileiro dos Cavalcanti, uma das mais vastas senão a mais vasta descendencia eurasiana fora do mainland eurasiano.

0 Comments|10 Views|View full article
Other:Agradecimento
Posted by: Zélia Maria Cavalcante de Paula Vieira on Dec 15 2011 05:34
Lucio e familiares do Maranhão: Agradeço pelas felicitações por ocasião de meu anivesário. Abraços do amigo Vieira
1 Comment|8 Views|View full article
Announcements:JuXavier, a loja da Ju abriu :D
Posted by: Caio Júlio de Andrade Ferreira on Jan 27 2011 11:43

Familiares,

Queria avisar que a Ju acaba de abrir sua loja.

A confecção JuXavier fica naTiburcio Cavalcante 2375e ela mesmo desenha e fabrica todas as peças. É tudo exclusivo!

Estou enviando em anexo o anúncio que fizemos para algumas revistas locais e uma foto da loja :)

Esta semana a ju também foi convidada a participar do blog de moda da Marcia Travessoni com o look do dia... http://www.marciatravessoni.com.br/sessao/look-de-hoje .

Obrigado e em breve envio mais novidades !!!

Fone da loja: 30230281 e da ju 88542794

1 Comment|26 Views|View full article
Other:Aniversário de Nelson Furtado de Mendonça
Posted by: Zélia Maria Cavalcante de Paula Vieira on Dec 22 2010 06:35

Caro Lucio está anunciado o aniversário do tio Nelson no site da Familia Cavalcante. Tenho a informar que esse querido tio, irmão de mamãe, já é falecido há vários anos. Sobre ele tenho a informar que foi um comerciante bem sucedido; um cidadão de bem com a vida, um pai e esposo exemplar.!Adorava crianças! Eu e minhas irmãs mais novas tivemos a felicidade de receber seus carinhos. Muitas saudades e que Deus o tenha recebido com complacência e alegria. Zélia Cavalcante

0 Comments|79 Views|View full article
Family stories:Biografia de José do Patrocínio Nogueira
Posted by: Nonato on Sep 21 2010 16:08

JOSÉ DO PATROCÍNIO NOGUEIRA


Militar, professor de português e poeta, nasceu em 08 de Novembro de 1921 na Fazenda Boa Vista, hoje, pertencente ao Município do Morro do Chapéu do Piauí. Filho natural de José Nogueira de Aguiar e Eliza Nogueira de Aguiar, passou a infância na fazenda, onde aprendeu a ler e escrever. Aos 18 anos, com o incentivo dos pais, foi complementar seus estudos em Fortaleza - Ceará.

Em 1942, inscreveu-se no vestibular para cursar a faculdade de Direito na Universidade Federal de Fortaleza e para a Escola Preparatória de Oficiais do Exército Brasileiro. Como obteve êxito nas suas duas opções, escolheu o caminho das Forças Armadas, sua verdadeira vocaç...

0 Comments|69 Views|View full article
Other:Aniversário de 15 primaveras de Isadora
Posted by: Zélia Maria Cavalcante de Paula Vieira on Aug 30 2010 09:31

Dia 05 de setembro próximo Adriana e Gabriel (genitores de Isadora) oferecerão aos paranetes e amiogos de Isadora um jantar no salão de Festa do Cond. onde reside sua avó Ieda, às 18,00, situado na Rua Tiburcio Cavalcante,1765 (esq. com Rua Carolina nSucuplira) nesta Cidade.

PLeviaamente apresentamos parabens e votos de muita feliciades. Seja este dia um marco feliz em sua linda juventude que desabrocha com muita formusura.

Sem data de meu conhecimento Isadora ofertará a seus amiguinhos uma noite de balada. Que seja um Sucesso!

0 Comments|20 Views|View full article
Family stories:Biografia de Antônio Cavalcante de Paula
Posted by: Nonato on Aug 22 2010 20:07

Antônio Cavalcante de Paula

A gente não escolhe o pai que
vai ter, mas temos certeza de que
se seus filhos tivessem como
escolher, não escolheriam outro.

Nascido em 27 de julho de 1926, estaria hoje, 27 de julho de 2010 completando 84 anos, quinto filho de Francisco Cavalcante de Paula e Sensata Furtado de Paula, seus avós paternos foram José Cavalcante de Paula e Generosa de Paula Cavalcante e seus avós maternos Targino Furtado de Mendonça e Angélica Furtado de Melo.

Criado por pais rigorosos e tementes a Deus foi escolhido pelos seus pais para se tornar padre, o que era comum naquela época para honra da família, era uma espécie de doação e agradecimento a Deus pelas dádivas recebidas do céu. Logo cedo, aos 12 anos entrou para o Seminário, onde permaneceu até seus 15 anos em Sobral.

Sua desistência inesperada da vocação religiosa causou grande decepção ao seu pai que logo tratou de colocá-lo para trabalhar como apontador na construção civil de obras no Carrasco, com a seguinte máxima: “quem não dá pra sela, dá pra cangalha”.

Depois passou a residir em Fortaleza, até concluir seus estudos - colegial e científico - na capital cearense.

Em 1943, aos 17 anos de idade decidiu que seguiria a carreira militar entrando para a Marinha. Como só completaria 18 anos no segundo semestre de 1944, conseguiu adulterar seu registro de nascimento, alterando o mês de nascimento de julho para janeiro do mesmo ano. A decisão de ingressar na Marinha deixou a sua mãe bastante apreensiva pela vida do seu filho, e o implorou para desistir da idéia. Sendo um homem obediente e em respeito a sua mãe, ele atendeu ao pedido de sua mãe aflita e desistiu.

Foi aprovado no concurso do IBGE para trabalhar em Guarabira, PB o que o faria migrar para a Paraíba, contrariando o gosto do seu pai que sentiu profunda tristeza com a sua partida, talvez pressentindo que era lá onde constituiria sua família e passaria muito tempo até revê-lo.

Em 1950, participou do Senso Populacional e Rural, coordenando a equipe de recenseadores.

Em 1953 passou em primeiro lugar no concurso do Banco do Brasil, onde ingressou como escriturário na cidade de Cajazeiras alto sertão paraibano e lugar onde encontraria a mulher de sua vida com quem constituiria sua família.

Em 15 de abril de 1955 casou-se com Maria do Carmo Temóteo Cavalcante, filha da Dona Maria Lira dos Santos, nascida em Cajazeiras, e educada com rigor em escola interna de freiras em Catolé do Rocha, sertão paraibano. Com ela, Antônio Cavalcante de Paula teve seus seis filhos e os respectivos descendentes:

1F. – Tânia Maria Cavalcante (1956);

2F. – Lúcio Flavo Cavalcante (1958);

3F. – Rosânia Cavalcante (1960);

4F – Ana Suely Cavalcante (1962);

5F – Antônio Cavalcante de Paula Filho (1969) e

6F – Andrea Cavalcante Castro (1978)

Tânia e Sady Castor Sobrinho tiveram os seguintes filhos:

1.1N – Samuel Cavalcante Castor (1982);

1.2N – Déborah Cristina Cavalcante Castor (1985) e

1.3N – Ana Beatriz Cavalcante Castor (1990)

Lúcio e Ana Lúcia Ribeiro Coutinho Cavalcante tiveram os seguintes filhos:

2.1N – Lúcio Flavo Cavalcante Filho (1985);

2.2N – Luciana Ribeiro Coutinho Cavalcante (1988) e

2.3N – Lucas Ribeiro Coutinho Cavalcante (1990)

Rosânia e Marciano Cabral de Lira tiveram os seguintes filhos

3.1N – Isabela Cavalcante Cabral (1985) e

3.2N – Renata Cavalcante Cabral (1989)

Ana Suely e Gregório Pereira de Aguiar tiveram os seguintes filhos:

4.1N – Marianna Cavalcante de Aguiar (1990) e

4.3N – Matheus Cavalcante de Aguiar (1996);

Antônio (Toti) e Ângela Maria Cavalcanti Albuquerque tiveram

5.1N - Jade Cavalcanti de Albuquerque Paula (1992);

Andrea (Dea) e Gustavo Vieira de Castro tiveram os seguintes filhos:

6.1N – Gabriela Cavalcante Castro (2005) e

6.2N – Tiago Cavalcante Castro (2009)

Isabela e Caio César Almeida de Lima Lira tiveram

3.1N.BN1 – Mariana Cavalcante Cabral de Lira (2009).

Durante sua trajetória no Banco do Brasil depois de Cajazeiras morou em Recife e João Pessoa onde trabalhou até se aposentar.

Seguiu carreira técnica no Banco do Brasil e se aposentou trabalhando vinculado à Superintendência do BB em João Pessoa.

No banco, como era de se esperar, fez muitos amigos e em muitas ocasiões participava de momentos de integração das famílias de outros bancários. Fez um grande amigo no banco, Torreão, que se considervam como irmãos.

Gostava muito de viajar, principalmente para dois lugares Cajazeiras onde morava a sua sogra e Ubajara sua terra natal. Em 1970 realizou uma viagem diferente, um cruzeiro para Manaus com sua esposa.

Tendo uma família relativamente numerosa, só mesmo um veículo grande para comportar e para realizar as viagens com toda família, por isso sempre manteve uma Kombi para suas viagens com a família.

Era homem simples de fácil relacionamento, se identificava com o homem do campo e muitos deles, tinham uma verdadeira admiração por ele. Quando chegava ao Catolé, região onde sua sogra tinha terras, conseguia, sem muito esforço, congregar toda comunidade de agricultores em torno de si, onde promovia jogos de cartas, caminhadas e outras brincadeiras as quais todos participavam. Em algumas de suas idas a essas terras e vendo a dificuldade enfrentada por aquela gente, promovia a coleta e entrega de cestas básicas para as famílias.

Fazia amigos com facilidade: no bar do Pita, onde se reunia quase que diariamente para jogar dominó; na Praia do Poço, onde cada dia prestigiava um barraqueiro diferente, na feira que costumava fazer nas sextas-feiras, na padaria, na barbearia, enfim por onde passava deixava amigos.

Em Ubajara animava muito as festas, os jogos de buraco o qual era exímio jogador e, como não poderia ser diferente, o jogo de buraco era uma de suas paixões.

Porém, uma das suas paixões era a cerveja cujo consumo exagerado, trouxe seqüelas que em 2007 o obrigou a suspender definitivamente o seu consumo.

Infelizmente seu momento chegou: em março de 2010 ele sofreu uma queda que o obrigou a fazer uma cirurgia cujo pós-operatório trouxe uma série de complicações que o seu organismo debilitado não conseguiu reagir, culminando com seu falecimento em 30 de março de 2010 deixando parentes e amigos profundamente comovidos com seu passamento.

Os filhos deixaram mensagens que serão transcritas a seguir:


João Pessoa 01 de abril de 2010

Saudade! É a única palavra que pode descrever o sentimento de falta que ele faz.

O nosso pai partiu dessa vida. Mas o universo ganhou uma linda estrela cheia de luz e de calor.

Nesse momento de dor e perplexidade que me obriga a parar e refletir sobre o sentido da vida, mergulho na minha memória, na esperança de encontrar explicações que me levem a entender e aceitar sua ausência.

E no meio de um turbilhão de sentimentos surgem milhares de lembranças. Dentre elas uma sensação de gratidão por Deus ter me dado a dádiva de ter tido ele, Antonio Cavalcante de Paula, como pai; Painho. É assim que era conhecido entre filhos e netos.

Painho, uma pequena palavra, que expressa com profundidade o amor e a admiração de filhos e netos, por essa pessoa impar que marcou nossas vidas.

E seguindo no redemoinho de emoções e questionamentos sobre o sentido de vida e morte, revejo em flashes parte da minha vida em que convivi como com ele. Aí me dou conta de que na minha memória só vem coisas boas e imagens felizes. Assim era Painho. Uma pessoa alegre, festiva e de muita luz. Uma pessoa que doou toda sua vida à família, e nos proporcionou uma infância e adolescência muito felizes. Vivemos juntos muitos momentos mágicos.

E desses momentos lembro, como se fosse ontem, dos domingos, todos juntos a explorar as belezas da praia do Bessa quando esta ainda era povoada por uma grande floresta de cajueiros. Das viagens de férias na Kombi (todos os anos ele trocava por uma nova, para que pudéssemos viajar todos juntos com segurança). E lá íamos nós, embalados ao som de músicas dos Beatles, BeeGees e outros, pensando nas aventuras e alegrias que nos esperavam em Cajazerias, Fortaleza, Ubajara e outras paragens a serem exploradas. Que momentos deliciosos ele nos proporcionou com sua vitalidade, sua energia festiva e contagiante.

Aonde chegava, seu espírito alegre e agregador transformava momentos de simples convívio com tios, primos e irmãos em uma grande festa.

E assim levei ao lado dele uma vida de muita leveza e alegria.

Não era de nos ensinar com conselhos, ou lições de moral e sim com exemplos. E sua vida foi um exemplo. Um exemplo de um homem que na sua simplicidade franciscana também dedicou sua energia a ajudar os humildes e todos aqueles necessitados com quem convivia, nas suas idas à feira, nas barracas das praias e outros lugares simples que gostava de frequentar e conversar com trabalhadores, garçons, vendedores e outras pessoas humildes.

Era um homem de bem e do bem.

E com seu jeito irreverente e gozador, ele dizia verdades, defendia seus direitos e os daqueles que amava e protegia. Foi assim que ao longo dos anos ganhou legiões de amigos e admiradores.

Foi um desses amigos que lhe deu a justa chancela de Antônio Coração de Leão.

Coração... Nem precisa dizer... Leão... Foi exatamente seu espírito guerreiro que lhe fez lutar até os últimos momentos para vencer as limitações que suas condições de saúde vinham lhe impondo. Mas sempre com galhardia, com bom humor, um sorriso maroto no rosto e muita fé de poder melhorar. Lamentações... Nunca fizeram parte do seu vocabulário, mesmo com todas as dificuldades de exercer sua autonomia no seu dia-a-dia e todo o sofrimento pelo qual passou nos seus últimos dias.

Enfim, seu Antônio “Coração de Leão” Cavalcante de Paula se foi desse mundo, mas deixou suas pegadas de luz. E onde ele estiver agora, tenho certeza que há festa e alegria.

Eu te amo Painho e vou guardar sua imagem para sempre no meu coração.

Enfim, essas são um pouco de milhões de lembranças que fervilham na minha memória e que eu gostaria de deixar registrada nesse momento de dor. Quem sabe, possa ajudar a diminuí-la um pouco.

Tânia Maria Cavalcante


Aprendi com Painho muitos valores como honestidade, lealdade, respeito e humildade, dentre outras coisas tinha outra que ele também quis que eu aprendesse era: "homem não chora", e bem que eu tentei e durante muito tempo eu consegui, mas agora eu pergunto: como não chorar quando lembro que não terei mais a sua mão pra apertar e beijar tomando-lhe a bênção? Como não chorar se sei que não mais escutarei a sua voz? Como não chorar se não mais poderei beijar-lhe a testa? Como não chorar se não poderei ouvir o seu bom senso e sua experiência me aconselharem? Como não chorar se a sua alegria contagiante se foi para sempre? Como não chorar sabendo que quando a saudade apertar será irremediável? Como não chorar se não tive tempo suficiente para lhe agradecer por ter sido meu pai? Como não chorar vendo o mundo chorar a sua partida? Não! Definitivamente eu me nego a aprender essa lição, eu me nego a não chorar.

Você é o meu herói e heróis não morrem. E você permanecerá para sempre em meu coração.

Lúcio Flavo Cavalcante

06 de Abril de 2010


Pai,

Querido, amigo, e muito amado Painho. Na dor da imensa saudade, agradecemos a Deus a convivência que tivemos com essa pessoa maravilhosa.

Deixa-nos grandes lições de amor: amor a vida, à família, aos mais humildes e à natureza. Aprendemos com ele a amar e a festejar as pequenas coisas da vida.

Viverás eternamente em nossos corações.

Rosânia, Isabela Renata e Marianinha


Caríssimos familiares,

Estou aqui hoje para convidá-los a rezar, mais uma vez, pela alma de meu pai (Antonio Cavalcante de Paula), pois hoje dia 27, ele estaria completando mais uma primavera se ainda estivesse entre nós. Neste dia a saudade bate mais forte para aqueles (e para mim inclusive) que com ele comemorou durante tantos anos, sempre em Ubajara, na nossa amada serra, esta data especial.

Ele era uma pessoa simples, humilde, alegre, carismática, que sempre ajudou a quem estivesse precisando, um exemplo de homem. Sinto grandes saudades das nossas viagens, frequentemente íamos para o sítio de vovó (Catolé) em Cajazeiras, outra viagem obrigatória era em Ubajara onde ao menos uma vez por ano estávamos lá marcando presença. Tenho uma pontinha de inveja (no bom sentido) dos meus irmãos, pois eu sendo a filha caçula não convivi com ele tantos anos quanto os meus irmãos conviveram. Meu coração dói, mas, sei que ele está em paz, ao lado de Deus Pai, fazendo festa no céu como ele fazia aqui na terra.

Enquanto viveu, Painho nos amou, e eu vou amá-lo até o fim da minha vida.

Andrea Cavalcante Castro


Sua irmã caçula, Terezinha Cavlcante de Paula deixou a seguinte mesagem:

A PORTA DO CÉU SE ABRIU

Ali naquela casa, naquele lugar, sentado naquela cadeira com as pernas sempre apoiadas numa almofada posta sobre uma mesinha de centro. Ali, bem ali, está faltando ele e a saudade dele está doendo em mim. A saudade dele esta doendo em todos nós familiares que o amávamos tanto.

Foram aproximadamente 40 dias num leito de hospital. Idas e vindas entre CTI e apartamento. Máquinas ligadas;oxigênio,sangue,soro,antibióticos potentes...Foi assim a última vez que encontrei Antonio, meu tão querido irmão.

as, apesar de tudo isso, de repente fez–se silencio; um silêncio, profundo intenso e eterno. Tudo parou. As máquinas silenciaram, a respiração cessou, o coração cansou e a vida se extinguiu.

A princípio um silencio sufocante, uma paz inquietante e assustadora.

Mas, além muito além, num lugar ainda desconhecido por nós, ouviram-se umas pancadinhas: toc, toc toc. Era alguém pedindo licença ao Deus de Misericórdia para entrar.

- Licença Deus de Misericórdia, posso entrar?

Era Antônio Cavalcante, que com mais uma pancadinha na porta do céu pedia a Deus permissão para construir sua última e derradeira morada, sua morada eterna e definitiva.

- Corre Pedro vai abrir e o acomoda bem! É mais um filho muito amado que chega, disse Deus a São Pedro.

E assim, Antônio foi entrando: calmo, manso, tranqüilo, sorrindo sempre. Olhar cativante, tez sempre altiva e uma fé inabalada. Aquele homem que a todos acolhia com muito amor e bondade também encontra guarida na casa do Pai.Aquele Antonio, que todos nós familiares nos acostumamos a admirar e a amar gratuitamente, da mais uns passos e toma assento ao lado direito de Deus Pai.

Antônio com sua imensa bondade cativava a todos que com ele conviviam. Homem simples, justo, honesto, pacato, bondoso, conciliador e amoroso . Fez da humildade e da simplicidade seu estandarte de vida . Assim era meu querido irmão Antônio a quem sempre amei e admirei.

E sabe de uma coisa? Antonio agora esta radiante. Virou uma estrelinha brilhando sempre no alto do céu.

E assim, quando a saudade apertar, procuro olhar para o céu e na estrelinha mais brilhante e mais radiante, piscando sempre digo:

- Ah, ah, lá está Antônio.

Muitas saudades.

Maceió, 31/03/2010, Terezinha

0 Comments|743 Views|View full article
Family memories:Homenagem a meu pai
Posted by: Andrea Cavalcante Castro on July 27 2010 08:43

Caríssimos familiares,

Estou aqui hoje para convidá-los a rezar, mais uma vez, pela alma de meu pai (Antonio Cavalcante de Paula), pois hoje dia 27, ele estaria completando mais uma primavera se ainda estivesse entre nós. Neste dia a saudade bate mais forte para aqueles (e para mim inclusive) que com ele comemorou durante tantos anos, sempre em Ubajara, na nossa amada serra, esta data especial.

Ele era uma pessoa simples, humilde, alegre, carismática, que sempre ajudou a quem estivesse precisando, um exemplo de homem. Sinto grandes saudades das nossas viagens, frequentemente íamos para o sítio de vovó (Catolé) em Cajazeiras, outra viagem obrigatória era em Ubajara onde ao menos uma vez por ano estávamos lá marcando presença. Tenho uma pontinha de inveja (no bom sentido) dos meus irmãos, pois eu sendo a filha caçula não convivi com ele tantos anos quanto os meus irmãos conviveram. Meu coração dói, mas, sei que ele está em paz, ao lado de Deus Pai, fazendo festa no céu como ele fazia aqui na terra.

Enquanto viveu, painho nos amou, e eu vou amá-lo até o fim da minha vida.

1 Comment|23 Views|View full article
Important:Biografia
Posted by: José do Patrocínio Nogueira Júnior on June 22 2010 20:05

Primo Lúcio,

Com certeza aprovo sua grande idéia. Quando oportuno, gostaria de publicar a biografia que fiz de meu pai, quando foi homenagiado em sua terra natal. E como dever de casa, vou começar uma de minha mãe.

Obrigado e forte abraço.

JPNJr

1 Comment|23 Views|View full article
Important:biografia do membro da familia cavalcanti
Posted by: Francisco Oscar Lima Cavalcanti on June 22 2010 06:34

primo lúcio, bom dia!

aprovo a sua idéia e com louvor e ter como iniciante o tio antonio, o qual é

nos temos muito carinho, admiração e respeito.

abraços

oscar cavalcanti

0 Comments|11 Views|View full article
Visits
0013597
 
Loading...
Loading...