You are not logged in
Log in
Sign up
Viewed this profile
0000610
 

Maria Sylvia Nogueira de Toledo

Gender:Female
Country:
 Brazil
Joined:March 2 2009 (5 years ago)
Genealogy surnames I am researching:NOGUEIRA TERRA, CAMPOS, TARGINI, CASTRO, SENA, RIBEIRO, SILVEIRA, BRUM, CAMPOS PEREIRA,
Maria Sylvia Nogueira de Toledo is an active member of the site Garcia - Garcia Leal Web Site
Maria Sylvia Nogueira de Toledo visited 3 times, last visit on January 16 2012 (2 years ago)

Other site memberships (by number of visits)

Targini Web SiteSite manager, since Mar 2 2009
FAMÍLIA NEUBER VON NEUBERNSite manager, since Jan 22 2012
Helder OliveiraMember, since Mar 24 2009
Familias de Joaquim dos Santos Neto Web SiteMember, since Nov 29 2010
Genealogia da FamiliaMember, since Aug 19 2009
familia Nogueira descendentes de Tomé Rodrigues Nogueira do Ó e Astolfo NogueiraMember, since Nov 8 2009
Família MorelliMember, since Mar 14 2011
Site de famíliaMember, since Jan 6 2010
Ferreira Web SiteMember, since Apr 26 2011
familia gomes de freitasMember, since Sep 23 2011
And 11 more »
Comments:
MARIA DO CARMO DE CASTRO NOGUEIRA eu sou mariadocarmo araujo nogueira filha de Paulo castro nogueira sobrinha de juca nogueira e prima de Mariasilvianogueira toledo.Gostaria de informar o ramo de Paulo de castro nogueira tio de maria silvia e irmão de jucanogueira.Como devo fazer .
4 years ago
MARIA DO CARMO DE CASTRO NOGUEIRA gostaria de fazer uma correção sou maria do carmo araujo nogueira filha de Paulo de Castro nogueira e ondina de Araújo nogueira . Tenho a minha arvore geneologica que faz parte da familia de Maria Silvia que gostaria de Apresentar a voce querida prima.
4 years ago
MARIA DO CARMO DE CASTRO NOGUEIRA 6) jOEL DE aRAUJO nOGUEIRA; CASADO COM COM
aUREA lOPES nOGUEIRAQUE TIVERAM TRÊS FILHOS A SEGUIR:1) cRISTINA lOPES nOGUEIRA CASADA COM sANDRO vALDEZ aNDRETTA..
2) fERNANDOlOPES nOGUEIRA; 3)eDUARDO lOPES nOGUEIRA SOLTEIRO AINDA SEM DESCEDÊNCIA
aBRAÇO DA PRIMA mARIA DO cARMO DE aRAUJO nOGUEIRA QUE BREVEMENTE ENVIARAFOTOS DESTA NOSSA FÁMILIA.
4 years ago
MARIA DO CARMO DE CASTRO NOGUEIRA A TUA ARVORE GENEOLOGIA CHEGA AQUI EM PORTO
aLEGRE TODA DESGALHADA NUNCA CHEGA CERTA. ENVIEI UMA FOTO MIHA COM O MEU IRMÃO FLAVIO. ABS. mARIADO Carmo.
4 years ago
MARIA DO CARMO DE CASTRO NOGUEIRA dia 18 deste mes envie os dados de minha Familia Paulo de Castro nogueira prof.. de geologia em poa. rgs. meu pai muito querido . pesp. se recebeu o que enviei absss. Mariado Carmo castro Nogueira.
4 years ago
Maria Sylvia Nogueira de Toledo QUERIDA PRIMA MARIA DO CARMO, qundo você estiver mais habituada com o nosso site vai perceber como a árvore está bem verdinha, cheia de frutos.
Mais de mil.
Continue se comunicando e mande fotos.
Veja que foto linda coloquei: tio Paulo, tia Ondina e Roberto, bebê.
bjs.
Maria Sylvia
4 years ago
ODILA MARIA FONSECA TEIXEIRA E aí primina,Maria Sylvia?...como foste de niver e natal...deixei um recado para vc. no dia do seu niver...te abraço desejando que em 2010 possamos nos ver...beijos Odila
4 years ago
ODILA MARIA FONSECA TEIXEIRA Maria Sylvia...tem a última foto rotulada que está absolutamente fora do GALHO...os meus netos fora pendurados em outro galho....o Felipe é filho do Gustavo Alberto Fonseca Teixeira e Gabriela Cupani Teixeira...dá para renomeá los em lugar correto??? beijos Odila
4 years ago
Maria Sylvia Nogueira de Toledo A ÁRVORE TEM QUE SER CONSTRUÍDA E ACERTADA TODO DIA. NÃO SEI O QUE ACONTECE, MAS À VEZES ELA PARECE TER VIDA PRÓPRIA E APARECE UMAS COISA ERRADAS. QUANDO PERCEBO OU SOU AVISADA, CONSERTO. ABRAÇOS,
MARIA SYLVIA
4 years ago
Otávio Dutra de Toledo Minha querida tia tem o dom de fazer cada um de seus escolhidos se sentir especial, é extremamente entusiasmada pelas coisas essenciais da vida: a família, a cultura, a caridade e a arte, enfim, uma interlocutora fascinante
4 years ago
Maria Sylvia Nogueira de Toledo ACONTECE, QUERIDO SOBRINHO QUE, NO MEU CORAÇÃO, VOCÊ TEM MESMO UM LUGAR MUITO ESPECIAL, CHEIO DE BEM QUERER.
4 years ago
ODILA MARIA FONSECA TEIXEIRA Vou encontrar a Ama em Curitiba...de lá descemos para Joinville...quem sabe não chove e vou passar uns dias de férias com ela...depois ela viaja para o Canadá...Saudades Maria Sylvia...espero que estejas com muita saúde...beijos
3 years ago
ODILA MARIA FONSECA TEIXEIRA ESTOU VISITANDO A árvore da vida...CULTIVADA COM CARINHO PELA mARIA sYLVIA
3 years ago
Maria Sylvia Nogueira de Toledo QUERIDA PRIMA PRMEIRA ODILA. AO VISITAR O SEU BLOG, http://educomambiental.blogspot.com/ FIQUEI DESLUMBRADA COM A COMPETÊNCIA, PROFUNDIDADE E EMPENHO COM QUE VOCÊ O CONSTROI E DISCUTE OS SEMPRE ATUAIS TEMAS SOBRE MEIO AMBIENTE. ACHEI TAMBÉM MUITO PERTINENTE TRAZER À MEMÓRIA O SACRIFÍCIO FEITO PELA NOSSA LIBERDADE PELO NOSSO HEROICO PRIMO CARLOS EDUARDO DIAS FLEURY, TORTURADO E MORTO PELOS CRIMINOSOS ALGOZES DA DITADURA MILITAR DE 1964.
3 years ago
ODILA MARIA FONSECA TEIXEIRA Maria Sylvia querida...terminamos uma etapa né? Amanhã é PÁSCUA. Quero muito estar neste dia com as pessoas que amo. Vocês fazem parte deste ROL... Com muito carinho desejo uma Páscoa de muita força...e me aguarde que quero ir buscar o LIVRO DO JOÃO...
3 years ago
ODILA MARIA FONSECA TEIXEIRA Para quem praticou tanto amor: Fica um presente para você e o João grandes exemplos para todos nós
Reconhecimento do Amor (CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE)
Amiga, como são desnorteantes
Os caminhos da amizade.
Apareceste para ser o ombro suave
Onde se reclina a inquietação do forte
(Ou que forte se pensa ingenuamente).
Trazias nos olhos pensativos
A bruma da renúncia:
Não queiras a vida plena,
Tinhas o prévio desencanto das uniões para toda a vida,
Não pedias nada,
Não reclamavas teu quinhão de luz.
E deslizavas em ritmo gratuito de ciranda.

Descansei em ti meu feixe de desencontros
E de encontros funestos.
Queria talvez - sem o perceber, juro -
Sadicamente massacrar-se
Sob o ferro de culpas e vacilações e angústias que doíam
Desde a hora do nascimento,
Senão desde o instante da concepção em certo mês perdido
na História,
Ou mais longe, desde aquele momento intemporal
Em que os seres são apenas hipóteses não formuladas
No caos universal

Como nos enganamos fugindo ao amor!
Como o desconhecemos, talvez com receio de enfrentar
Sua espada coruscante, seu formidável
Poder de penetrar o sangue e nele imprimir
Uma orquídea de fogo e lágrimas.

Entretanto, ele chegou de manso e me envolveu
Em doçura e celestes amavios.
Não queimava, não siderava; sorria.
Mal entendi, tonto que fui, esse sorriso.
Feri-me pelas próprias mãos, não pelo amor
Que trazias para mim e que teus dedos confirmavam
Ao se juntarem aos meus, na infantil procura do Outro,
O Outro que eu me supunha, o Outro que te imaginava,
Quando - por esperteza do amor - senti que éramos um só.

Amiga, amada, amada amiga, assim o amor
Dissolve o mesquinho desejo de existir em face do mundo
Com o olhar pervagante e larga ciência das coisas.
Já não defrontamos o mundo: nele nos diluímos,
E a pura essência em que nos transmutamos dispensa
Alegorias, circunstâncias, referências temporais,
Imaginações oníricas,
O vôo do Pássaro Azul, a aurora boreal,
As chaves de ouro dos sonetos e dos castelos medievos,
Todas as imposturas da razão e da experiência,
Para existir em si e por si,
À revelia de corpos amantes,
Pois já nem somos nós, somos o número perfeito: UM.

Levou tempo, eu sei, para que o Eu renunciasse
à vacuidade de persistir, fixo e solar,
E se confessasse jubilosamente vencido,
Até respirar o júbilo maior da integração.
Agora, amada minha para sempre,
Nem olhar temos de ver nem ouvidos de captar
A melodia, a paisagem, a transparência da vida,
Perdidos que estamos na concha ultramarina de amar.

O Amor Antigo (CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE)
O amor antigo vive de si mesmo,
não de cultivo alheio ou de presença.
Nada exige nem pede. Nada espera,
mas do destino vão nega a sentença.

O amor antigo tem raízes fundas,
feitas de sofrimento e de beleza.
por aquelas mergulha no infinito,
e por estas suplanta a natureza.

Se em toda parte o tempo desmorona
aquilo que foi grande e deslumbrante,
o amor antigo, porém, nunca fenece
e a cada dia surge mais amante.

Mais ardente, mas pobre de esperança.
Mais triste? Não. Ele venceu a dor,
e resplandece no seu canto obscuro,
tanto mais velho quanto mais amor.
3 years ago
Maria Sylvia Nogueira de Toledo OBRIGADA MINHA AMIGA, POR ME PROPORCIONAL ESTE MOMENTO LINDO QUE FOI O DE LER ESTAS POESIAS. FORAM LINDOS PRESENTES DE PÁSCOA. QUE A PAZ DE CRISTO ESTEJA COM VOCÊ
3 years ago
Maria Cristina Neubern Parabéns, Maria Sylvia! Coloquei alguns dados do "meu lado"... Só não consegui identificar a conexão direta do meu avô com o Rudolph. Sei que era neto, mas não tenho maiores detalhes. Se vc tiver, me avisa... Beijos, Cris
2 years ago
SILVIA COSTA BRAND CORRÊA Querida prima, acabo de descobrir que a minha data de nascimento está errada....a verdadeira é 11 de junho de 1946, quem corrige? Beijinho, Silvia, a nona
one year ago
 
Loading...
Loading...